Busca por planos Controle aumenta em 2021

Durante muito tempo, nos anos 2000, os celulares pré-pagos foram os queridinhos dos usuários de telefonia móvel no Brasil: eles correspondiam a mais de 80% do mercado. Eram outros tempos, em que ficar sem créditos e sem conexão não era um grande problema.

Afinal, os celulares serviam apenas para fazer ligações ou enviar mensagens de texto e era comum fazer uma chamada a cobrar ou só responder quando chegasse em casa, do fixo, quando seu saldo acabava. Isso acontecia com quase todo mundo.

Mas no segundo semestre de 2020, o mercado de telefonia móvel brasileiro presenciou um acontecimento inédito: os planos pós-pagos ultrapassaram os “de crédito” na preferência do consumidor pela primeira vez.

Foi uma vantagem pequena, de 50,3% contra 49,7%, porém muito representativa de um movimento que se construiu nos últimos anos: os usuários estão dispostos a investir mais para ter planos melhores, sem depender de créditos.

O reinado dos pré-pagos está sendo ameaçado, dentro desse cenário, os planos controle aparecem como uma das principais forças. De acordo com uma pesquisa feita pelo Portal de Planos, com dados do Google Trends, os termos relacionados a planos controle alcançaram 550 mil buscas na internet entre março de 2020 e fevereiro de 2021. Nesse mesmo ano, os planos pré-pagos tiveram 200 mil buscas a menos.

Controle: o meio-termo entre pré e pós-pago

A popularização dos smartphones, com o maior uso da internet em vez de ligações ou SMS, foi um dos principais fatores que fizeram os pré-pagos perderem força no mercado brasileiro.

As operadoras perceberam essa preferência e começaram a lançar planos pós-pagos com foco em custo-benefício — antigamente, os celulares “de conta” eram direcionados às classes mais abastadas ou a quem usava o telefone móvel para trabalhar.

Os planos controle são o maior exemplo disso: proporcionam o conforto do pós-pago com os preços acessíveis e a previsibilidade dos planos pré. É possível contratar pacotes a partir de R$ 40 ou 50, com gigas de internet para usar o mês inteiro, sem precisar recarregar créditos.

A questão, como dito, é o custo-benefício. Pensando apenas no custo, o pré-pago continua sendo uma alternativa imbatível. Porém, os tempos dos celulares que “só recebem” passaram. Se você quer se conectar à rede 4G todos os dias, é necessário recarregar os créditos várias vezes no mês. Sendo assim, o plano controle acaba saindo mais barato, com mais vantagens.

Planos controle com melhor custo-benefício

Segundo a pesquisa do Portal de Planos, citada anteriormente, entre os planos controle mais buscados na internet estão os da operadora Vivo, seguido por Claro e TIM controle, com a Oi em quarto lugar. Isso quer dizer que o Vivo Controle é a melhor opção? Vale a pena comparar.

Isso porque as operadoras estão investindo em promoções cada vez mais atraentes, nesses planos, para atrair os consumidores.

A tendência mais interessante do momento é oferecer franquia ilimitada para aplicativos, incluindo redes sociais. Na maioria das operadoras, você pode usar o WhatsApp sem gastar qualquer giga da internet que você contratou. Outros apps estão inclusos, dependendo da operadora.

Na Oi, além do app verdinho de mensagens, você pode usar também o Instagram, Facebook, Messenger e até a rede social de vídeos TikTok — tudo sem descontar da franquia. Já o TIM Controle inclui o aplicativo de música Deezer Premium, uma opção ao Spotify ou YouTube para escutar suas canções favoritas, enquanto a Claro oferece seu serviço próprio, o Claro Música.

A Vivo, por sua vez, permite usar o aplicativo de mapas Waze e o WhatsApp sem descontar da franquia, mas o cliente também pode contratar uma franquia extra apenas para redes sociais por 5 reais a mais na fatura.

Ou seja, decidir qual plano oferece o melhor custo-benefício depende dos aplicativos que você usa e, também, da qualidade de cada operadora na sua região. Cada uma delas pode parecer mais interessante para um perfil de usuário diferente. Isso sem falar nas operadoras regionais (como Algar Telecom), que também passaram a oferecer planos controle nos últimos anos.

Custo-benefício sem surpresas nos planos com conta fixa

Quando falamos que os planos controle são um meio-termo entre o pré e o pós-pago, isso também se aplica à forma de pagamento. Afinal, por mais que você pague uma fatura após utilizar o serviço, como num celular “de conta”, o boleto vem sempre com o mesmo valor.

No caso do seu pacote acabar antes do fim do mês, você pode colocar créditos. Mas com tantos apps ilimitados, a gente acredita que isso seja difícil.

Um bom plano controle, nas grandes operadoras, está custando entre R$ 40 ou 50 ao mês, incluindo algo entre 4 a 6 GB para usar o mês inteiro, aplicativos ilimitados e ligações também ilimitadas, até para outras operadoras.

Pesquisando bem, você pode encontrar promoções ainda mais interessantes, além de vantagens para pagamento no cartão de crédito (sem a fatura em papel) ou para planos com fidelidade.

Sendo assim, esse aumento nas buscas por planos controle é compreensível, no fim das contas (literalmente). Afinal, com um pouco de investimento a mais, o usuário tem muito mais benefícios e a conveniência de não precisar recarregar créditos.

Para comparar todas as ofertas disponíveis para sua região, você pode acessar o comparador do Portal de Planos.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.